Ser pérola ou não ser, eis a questão!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010


Para começar, pérolas genuínas são classificadas em naturais e cultivadas. As naturais são formadas pelo processo normal, que é quando um corpo estranho se aloja na ostra e é revestido de madrepérola. Já as cultivadas, ocorre o mesmo, porém é feito de modo induzido.
Tem também aquelas que custam R$ 0,50 o par, mas se colocarem numa caixa de veludo você saberia identificar? Bom, acho phyno saber dessas coisas:

Teste do dente:

 Esfregue a pérola nos seus dentes da frente delicadamente, as verdadeiras darão a impressão de serem arenosas pois contém CaCO3. O que não acontece com as sintéticas que são escorregadias aos dentes.





Teste do zoom:

Na hora, conte com a ajuda da lupa, pois as autênticas parecerão lisas e levemente granuladas. Há também os orifícios precisos e bem definidos que garantem sua genuinidade. Procure também por algumas manchas.






Teste do peso:

Se forem densas e pesadas, então você tem uma legítima pérola em mãos.









Depois de verificadas, elas precisam dar o ar da graça nas produções:














1 comentários:

Mariana G. Says:
30 de outubro de 2010 14:38

Adorei o post, meninas! Particularmente, adoro pérolas sempre!

Paula, te mandei um e-mail! :)

Postar um comentário